Jamille Oliveira Santos Bastos Cardoso

jam


Historiadora, licenciada em história pela UFRB. Mestre em História Social pela UFBA, onde desenvolveu pesquisa na área de História Indígena e religiosidades no contexto colonial. Doutoranda em História Social pela UFBA com pesquisa voltada para a presença indígena no Recôncavo da Bahia. Cursa a Especialização Interdisciplinar em Estudos Sociais e Humanidades pela Universidade do Estado da Bahia - UNEB/UNEAD. Atua principalmente nos seguintes temas: relações étnicas, conflito e mediação cultural, povos tupinambás, religiosidades indígenas, estudos inquisitorias e Santidade de Jaguaripe.
F
ÁREAS DE PESQUISA

Relações étnicas, conflito e mediação cultural, povos tupinambás, religiosidades indígenas, estudos inquisitoriais e Santidade de Jaguaripe.

TESE

Entre aldeamentos, vilas e engenhos: etnogênese e reconfiguração social indígena no Recôncavo da Bahia (1580-1680). (em andamento)

DISSERTAÇÃO

Ecos de liberdade: a Santidade de Jaguaripe entre os alcances e limites da colonização cristã (1580-1595). (UFBA, 2015)
F2
ARTIGOS
Ecos de liberdade: propagação, adesão e reconversão à religiosidade tupinambá na Bahia quinhentista. 7 Mares, v. 2, p. 99-114, 2014.

De Viagens a Explorações Investigativas: A Análise da Santidade de Jaguaripe sob Nova Perspectiva. Plurais: Revista Multidisciplinar da UNEB, v. 5, p. 1-10, 2014.

Circularidade cultural no espaço colonial: a Santidade de Jaguaripe e o processo de reinvenção identitária. Revista eletrônica discente História.com, v. 1, p. 1-16, 2013.


TRABALHOS COMPLETOS PUBLICADOS EM ANAIS DE CONGRESSOS

De usos a ritos gentílicos: os traços das religiosidades indígenas nas fontes inquisitoriais. In: III Simposio Internacional de Estudios Inquisitoriales: nuevas fronteras, 2015, Alcalá de Henares (Espanha). III Simpósio Internacional de Estudos Inquisitoriais: novas fronteiras. Cachoeira: UFRB, 2015. v. 1. p. 1-342.

Uma província de cruz seca e mui penosa: dificuldades e conflitos para a expansão da fé na Bahia quinhentista. In: XXVIII Simpósio Nacional de História, 2015, Florianópolis. Anais eletrônicos do XXVIII Simpósio Nacional de História. Florianópolis: Editora da UFSC, 2015. v. 1. p. 1-16.

Ao som dos maracás e sob a fumaça do petum: a Santidade de Jaguaripe e a ?anticatequese? no cenário colonial. In: II Simpósio Internacional de Estudos Inquisitorias: religião e poder, 2014, Salvador. Anais eletrônicos so II Simpósio Internacional de Estudos Inquisitoriais. Cachoeira: Editora da UFRB, 2014. v. 1. p. 1-15.

A esterilidade da vinha e a disputa entre os ceifeiros: os limites da catequização no Recôncavo Colonial - Bahia 1585-1592. In: 5º Encontro Internacional de História Colonial, 2014, Maceió. Anais do V Encontro de Internacional de História Colonial: Cultura, Escravidão e Poder na Expansão Ultramarina (Século XVI ao XIX). Maceió: EDUFAL, 2014. v. 1. p. 630-637.

Conflito e mediação na 'anticatequese' indígena: a disputa da fé entre caraíbas e jesuítas no cenário colonial. In: XXVII Simpósio Nacional de História, 2013, Natal. Anais do XXVII Simpósio Nacional de História, 2013. v. 1. p. 1-16.

Um contraponto indígena no cenário colonial: A Santidade de Jaguaripe e o processo de circularidade cultural no Recôncavo da Bahia (1585-1593). In: VI Encontro Estadual de História - ANPUH/BA, 2013, Ilhéus. Anais Eletrônicos - VI Encontro Estadual de História - ANPUH/BA. Online: Online, 2012. v. 1. p. 1-10.

F3
Recomendar esta página via e-mail: